Superioridade

Brasileiras enganadas por egípcios na internet são vítimas de abusos

Contato com mães 799156

Embora, oficialmente, nada as impeça de viajar pela terra dos faraós, os relatos que ouvi e que li na internet mostram que viajar sozinha no Egito pode ser um desafio maior do que, talvez, você imagine. Mas, calma. Antes de se desesperar, leia os depoimentos de algumas viajantes que encararam o preconceito, o medo e fizeram essa viagem desacompanhadas, retornando seguras e cheias de histórias para contar para o resto da vida. Ela conta, ainda, que, por diversos momentos, se sentiu insegura no país, mas por motivos bem diferentes. Porém, o assédio é frequente e me deixava, por vezes, insegura. A professora Luana Dias viajou com o marido e conta que, mesmo acompanhada, passou por situações constrangedoras. Eu tentei manter a calma e a seriedade nas minhas respostas. Ela ainda conta outra sorte que teve na viagem.

Por que eu resolvi voltar para o Brasil? Sou chamada de maluca por 9 entre 10 pessoas que conversam comigo sobre o tema.. Inclusive tem quem me mande assistir aos jornais, que abra os olhos e etc. Até o cardiologista me recomendou que eu desistisse. E confesso.. E o fato de ter perdido minha vó e meu primo enquanto morava nos Estados Unidos fez tudo se aumentar, pois vivi com um medo escrito de estar longe e ter outra perda.

Com o tempo, fui percebendo que muitas dessas mensagens eram de brasileiras enganadas por egípcios na internet. Eu vou explicar isso melhor. Toda vez que eu lia uma frase das histórias que elas me contavam, eu sentia um frio na barriga e ponderava muito antes de dar qualquer resposta. Em todas as vezes, tentava manter a neutralidade, respondendo diretamente ao que me perguntavam, sem fazer qualquer julgamento de valores. Eu queria saber se encontrava algo a respeito de mulheres que se envolviam virtualmente com egípcios. Tudo isso porque acreditarem em um conto de fadas. Nas maioria das histórias que li, havia alguns pontos em comum. Em entrevista ao noticiário El País , a paulistana de 29 anos contou que foi humilhada e passou fome.

Leave a Reply